Pro inferno

Não sei o motivo de continuar tentando

algo que parece não levar a lugar algum,

talvez me apegue ao conselho do Bukowski,

de ir até o fim,

já que comecei.

Sem nenhuma dúvida,

trocaria qualquer resquício de genialidade,

que possa haver lá no fundo de meu ser,

por apenas mais um gole em meu copo,

já quase seco, e uma baforada

de uma fumaça qualquer.

Meu pai já me dizia desde que eu

era apenas uma criança,

“em nossas vidas,

sempre seremos julgados

pelos erros que cometermos,

não importando,

quantas vezes tenhamos

acertado.”

Ciente disso, sigo tentando

acertar, todos os dias,

mas humano falho que sou,

não consigo atingir o objetivo,

de apenas acertos ter.

Falho, erro, acerto,

me engano, perco as horas e

procrastino sempre que possível,

empurro com a barriga e

arrumo desculpas que nem eu acredito,

mas isso não é por mal,  não,

se posso me orgulhar de algo,

é de nunca ter errado por maldade,

e embora acredite que muitas das vezes sou,

um grande filho da puta,

tento sempre dar o meu melhor,

em tudo que faço.

Bem, no fundo quero apenas,

que o mundo todo vá para o inferno,

tudo se exploda,

numa manha de domingo,

e eu possa entre um gole e outro

escrever uma ultima vez.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s