Sussurro gutural de um homem sem ensejos

Veja bem, ouça-me atentamente
Neste momento
Não costumo falar muito,
E, quando falo,
É em baixo tom
A questão que se segue
É que eu não anseio mais.

A vida pode ser mais pesada
Quando não se tem
Ou quando não se almeja
Mas pode ser
Que seja mais bela, também.

O que importa?
O resultado será sempre o grotesco
E meu fracasso
Foi meu único triunfo.

Uma flor jogada ao rio
Percorre diversos lugares,
Viajando, até alcançar
O infinito oceano
E desaparecer
Para sempre.

E foi assim que transcorreu
Minha existência:
Eu sou a flor, minha única flor,
E o rio são as trevas.

Meu romantismo mesclado
À minha promiscuidade
Causou confusão em minha libido
O meu desejo por algo utópico
Deixou-me com as mãos a abanar
Eu não me esforcei
O bastante
Não por desinteresse
Mas por não saber
No que queria me tornar
E por não ser nem esperar
Por mais nada,
Padeci.

Mas pode ser que o nada
Só esteja aqui
Dentro.

Eu bebo para afogar
Meus demônios
Mas como bons demônios
Eles sempre voltam
E fumam um cigarro comigo.

Dizem que sou autodestrutivo
Ora, e quem não é?
Quando não destrói-se o corpo
Destrói-se a mente
É praticamente impossível
Medrar as duas coisas
Simultaneamente.

Observando toda a desgraça
Deste malévolo mundo
Concluo que deus
Ama mais ao sofrimento
Que aos seus fiéis
E o maior perdão que devemos
É a nós mesmos.

Toda flor que desabrocha
É uma vida que se cessa
Toda pétala que cai
É um motivo pra chorar.

A lua puxa a noite
Como se não mais
Fosse ter sol
Os mendigos filosofam
Nas calçadas
Entornando suas amarguras
Goela abaixo
Investidores passam a madrugada
Nos escritórios
Frenéticos por estarem sempre
Um passo a frente
As putas vendem meia hora
De amor
Para aqueles que sofrem
Pela falta dele
Sem saberem que, com ele,
Talvez sofreriam mais
Os carros avançam os faróis
As mentes pedem por um sossego
Eu permaneço inerte
E peço mais uma dose
Do que quer que seja
Não há mais o que fazer
Cada um se mata à sua maneira.

Arte de Flávio Aguiar

Anúncios

4 Respostas para “Sussurro gutural de um homem sem ensejos

  1. A busca que busca talvez não busque como deveria buscar, mas a busca em si se justifica enquanto a vida dolorida caminha no movimento continuo da existência para a dissolução.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s